Rede Educar para a Igualdade Étnico-racial

Prêmio

Prêmio Educar para a Igualdade Racial 

O Prêmio Educar para a Igualdade Racial: experiências de promoção da igualdade étnico-racial em ambiente escolar é reconhecido no âmbito do MEC como uma das principais ações realizadas pela sociedade civil de promoção da igualdade étnico-racial na educação. E também, como uma das principais ações – aqui incluindo as realizadas pelos governos – de implementação da Lei 10.639/03.  

O prêmio é uma iniciativa da parceria CEERT e Grupo Santander Brasil, que está na sua 5ª edição. Tem por objetivo identificar, difundir, reconhecer e apoiar práticas pedagógicas e de gestão escolar, vinculadas a temática étnico-racial, na perspectiva da garantia de uma educação de qualidade para todas e todos e, mais especificamente, de combate ao racismo e de valorização da diversidade étnico-racial.

Ao longo dos últimos noves anos e de quatro edições, o Prêmio Educar para a Igualdade Racial constituiu um acervo de mais de 1000 práticas escolares, voltadas à educação das relações étnico-raciais. Desse acervo constam práticas desenvolvidas nas cinco regiões administrativas do país e em cada um dos 27 estados da federação.

O acervo reflete a diversidade étnico-racial existente no país, com práticas pedagógicas que tematizam África, africanos e afro-descendentes, povos e nações indígenas, ciganos, japoneses, populações quilombolas, população migrante. Reflete também a diversidade regional do semi-árido, com uma brilhante prática pedagógica que estudou a qualidade da água em uma comunidade quilombola. Outra, de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, preocupada em alfabetizar seus alunos na língua Tuyuka preservando a cultura do grupo.

Há também experiências urbanas como a de Diadema, na região metropolitana de São Paulo, em que a escola confeccionou uma mala denominada diversidade. Essa mala itinerante percorreu a casa de cada uma das crianças envolvidas na prática pedagógica, levando casa a casa, a diversidade da escola. E para a escola, a diversidade de cada lar.

Desde 2002, ano de sua primeira edição, o Educar para a Igualdade Racial, se constitui em um momento singular de congregação de educadores ávidos em trocar experiências e conhecimentos. Entrou na agenda das ações educativas do país e a cada dois anos é aguardado com entusiasmo por educadores das cinco regiões brasileiras. De acordo com esses educadores a expectativa não é motivada apenas pelo prêmio oferecido, mas principalmente, pela oportunidade de tomar contato e apresentar para um público amplo de educadores e especialistas, as metodologias e os resultados de práticas escolares desenvolvidas.

Até a terceira edição (2006), o Educar para a Igualdade Racial destinava-se apenas para professores. A partir do quarto prêmio, o CEERT e o Grupo Santander Brasil inovam, instituindo nessa edição, a categoria escola.

Essa inovação veio em resposta a uma pesquisa realizada pela parceria, junto às escolas concorrentes ao prêmio, onde se diagnosticou o baixo índice de institucionalização das práticas pedagógicas nessas escolas.

Embora existisse o reconhecimento da contribuição dessas práticas para a melhora do desempenho escolar, para a menor evasão, para a melhora nas relações interpessoais dentro da escola, para a melhora na relação da escola com os pais, para a maior visibilidade dos professores e maior exposição positiva da escola em meios de comunicação e junto a secretarias de educação, além de outros resultados positivos, a pesquisa constatou haver uma descontinuidade no desenvolvimento das práticas pedagógicas na maior parte das pesquisadas.

Isso decorre da ampla dependência que as práticas têm dos educadores que as desenvolvem. E revela a situação de isolamento e individualidade que caracterizam essas práticas no interior das escolas.

Em outras palavras, a maioria das práticas desenvolvidas não foram incorporadas, aos projetos políticos pedagógicos das escolas, sobrevivendo exclusivamente da iniciativa individual do educador e não como um projeto escolar institucionalizado pela gestão.

Com vistas a estimular a institucionalização da prática pedagógica pela gestão escolar é que desde a quarta edição do Educar para a Igualdade Racial, no ano de 2008, passou a conferir prêmio também para a gestão com boas ações de implementação das diretrizes curriculares nacionais para educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana.

Além de um prêmio em dinheiro, o pacote da premiação inclui curso de formação e ainda um acompanhamento de até doze meses junto a duas escolas premiadas. O acompanhamento busca contribuir para o aprimoramento da institucionalização, e, aprender a difundir, o passo-a-passo de quem que faz bem em termos de implementação das diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais.

Os prêmios estão divididos em quatro modalidades: educação infantil, ensino fundamental anos iniciais, ensino fundamental anos finais e ensino médio. E em duas categorias, professor e escola. O prêmio é realizado bi-anualmente e só podem se inscrever práticas desenvolvidas até dois anos antes do ano de abertura do edital, sendo proibido concorrer práticas iniciadas ou que se iniciarão no ano de abertura.

O edital permanece aberto por um período aproximadamente de 60 dias. Nessa fase as práticas são inscritas por meio de uma ficha de inscrição disponível em papel e também on-line. Ao final desse período (60 dias) as práticas passam por uma triagem onde são verificadas se as condições de inscrições estabelecidas pelo edital foram cumpridas.

Após essa verificação as práticas são encaminhadas para pareceristas de reconhecida experiência nas áreas de educação e de relações étnico-raciais. São analisadas por pelo menos dois pareceristas distintos que emitem pareceres acompanhados de comentários e recomendações.

Nesta etapa são eleitas as práticas pedagógicas e de gestão finalistas, que serão encaminhadas para o júri final, responsável pela indicação das práticas premiadas.

Nesta 5ª edição, o Prêmio volta a ter abrangência nacional, destinando-se a professoras e professores, bem como à gestão escolar, nas modalidades educação infantil, ensino fundamental (anos iniciais e anos finais) e ensino médio.

O CEERT

O Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades – CEERT é uma organização não-governamental, apartidária e sem fins lucrativos, criado em 1990 com o objetivo de conjugar produção de conhecimento com programas de intervenção no campo das relações raciais e de gênero, buscando a promoção da igualdade de oportunidades e tratamento e a universalização do exercício da cidadania.

Constituído por uma equipe multidisciplinar de técnicos e pesquisadores oriundos de diversas áreas, o CEERT tem como atividades principais a produção de diagnósticos e conhecimento sobre relações étnico-raciais e de gênero, a proposição de políticas e programas institucionais destinados à promoção da igualdade de oportunidades e tratamento.

Principais programas:

• Políticas públicas;

• Diversidade no trabalho;

• Direito e relações raciais;

• Educação;

• Saúde;

• Liberdade de crença e combate à intolerância religiosa.

Site: www.ceert.org.br

Comentário de Marta Ximenes André de Aragão em 22 agosto 2010 às 20:26
Boa noite,
Meu nome é Marta Ximenes, sou professora do município de Fortaleza. Quero agradecer o convite para fazer parte deste grupo e dizer que estou muito contente. Também me inscrevi neste 5º prêmio educar e não tenho notícias de como está o andamento deste concurso. Alguém pode me informar, por favor?

Quero aproveitar e convidá-los a conhecer o blog da minha escola.
http://grandekizomba.blogspot.com/2009_10_24_archive.html

Comentário de Djenane Martins Oliveira em 23 agosto 2010 às 16:09
A minha escola tb inscreveu a nossa experiencia. Também não sei como está, mas seja lá quem for o vencedor, quem vence é a educação que ganha com práticas e políticas para a igualdade seja ela racial, de genero ou geracional. Nossas crianças merecem o nosso respeito. desejo boa sorte a tod@s que estão no prêmio.
Comentário de Marta Ximenes André de Aragão em 23 agosto 2010 às 22:52
Verdade Djenane, o importante é disponibilizar nossas experiências educacionais, aprendemos mais com estas trocas.
Comentário de Dirce Pereira do Prado em 26 agosto 2010 às 16:03
Olá, sou Dirce P. Prado, escritora afro-brasileira, membro da academia limeirense de letras e professora da rede municipal de Cordeirópolis. Estou muito contente por fazer parte deste grupo e também participo do 5º prêmio Educar. Acredito que seja muito importante trabalhos como este para que nossas crianças e jovens possam ter boas referências da nossa cultura negra.
Comentário de Rosilene Cristina Silva Carvalho em 26 agosto 2010 às 18:18
Olá ! me chamo Rosilene Carvalho e este site é imprescendível na utilização de práticas educativas na escola, me escrevi também no 5º Premio gostaria de saber do resultado dos selecionados tem como alguém me informar.
Comentário de Marta Ximenes André de Aragão em 28 agosto 2010 às 12:58
Assunto: Informações sobre o 5º Prêmio Educar para Igualdade Racial
O colega Marcio Josefh me deu a seguinte dica:
"Clique no link do prêmio na Rede e leia as informações das etapas. Aproveitem que estarão no site do Ceert e inscrevam-se para receber os boletins eletrônicos.
Abaoabraços,
Marta.
Comentário de Marlene Alves Pinheiro em 1 setembro 2010 às 20:49
O Prêmio Educar para a Igualdade Racial é uma brilhante oportunidade para os educadores que trabalham as temáticas referentes a diversidade étnica e racial, pois incentiva os mesmos a desenvolverem projetos que realmente busquem a promoção da cultura do respeito à diversidade no âmbito escolar e comunitário
Marlene Alves Pinheiro
Comentário de Marielda Barcellos Medeiros em 2 janeiro 2011 às 16:30

Esta é uma iniciativa que valoriza os professores, incentiva pensar na população negra com outro olhar e estimula continuarmos os nossos trabalhos com os alunos. Estou muito feliz por fazer parte desta rede que, oportuniza conhecimento e um relacionamento de respeito e troca entre seus membros, somos nós professores os verdadeiros conhecedores e agentes da educação em nosso país, e por isso, sabemos que a hora é agora, trabalhar para a igualdade étnico-racial não é fácil, mas é possível.

Parabéns CEERT por todas as iniciativas!!! Parabéns para tod@s nós que colaboramos e construímos esta história!!!

Comentário de José Claudio Salvador em 3 março 2012 às 1:37

E o Prêmio em 2012.

Comentário de Angela B. C. Loureiro de Mello em 28 novembro 2012 às 10:11

Evento formativo e solenidade de entrega do 6º prêmio "Educar para a Igualdade Racial" acontecerá no dia 11/12/2012, no SESC Vila Mariana (Rua Pelotas, 141), a partir das 9h00. Inscrevam-se no site www.ceert.org.br.

Abraços,

Angela

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Educar para a Igualdade Étnico-racial para adicionar comentários!

Entrar em Rede Educar para a Igualdade Étnico-racial

Badge

Carregando...

© 2014   Criado por CEERT.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço